segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Não sigo o Calendário Maia nem a Geografia do PT e eu gosto mesmo é de PENSAR e de NESCAU!

Não me lembro de nenhum fato histórico que tenha causado tanto frisson ao redor do mundo quanto causou o famigerado “bug do milênio”. Quem não se lembra disso? Tão grandes eram as preocupações quanto são as despreocupações de hoje para um próximo evento como esse! Por que foi assim? Não tínhamos precedentes. Hoje temos e sabemos que nem fez sentido tanta tempestade em copo d’água! Ficamos como crianças porque fizemos do desconhecido, do nada, algo monumental. Assim evoluem as ciências, o mundo e os homens de bom-senso! Para mim, todo esse raciocínio é meramente lógico! E acho que esta foi uma boa maneira de começar um texto ainda sem rumo certo e arrematar o primeiro parágrafo! RS!
No Acre atual o problema não é o bug, mas o horário, que aliás já reacendeu a discussão sobre o fim dos tempos!... Só não me perguntem qual a relação que uma coisa guarda com a outra porque eu não tenho a menor idéia! Mas acreditem: outro dia me perguntaram se o mundo acaba mesmo em 2012 e se o adiantar da hora do Acre já é um prenúncio disso! Fiquei perplexo, irritado! Não pela esculhambação que a mudança do horário causou e tem causado nos últimos dias, mas pela ignorância do cidadão, que com certeza vai votar de novo no PT. Putz! Depois até pensei: “Bem que poderia ser assim, pois era só adiantar mais umas horinhas que a gente pegava o primeiro lugar na fila do Dia do Juízo Final! Bem que merecemos!” Mas depois, de novo, o meu pensamento besta passou, e ficaram as irônicas ressonâncias políticas de estar no topo para o início do fim! Tomara que seja uma profecia política para as próximas eleições! Aliás, uma hora a mais, uma hora a menos, isso não faz a menor diferença, já que só precisamos mesmo é de 10 segundos para olhar na cara do candidato que a gente quer que perca e dizer “perdeu, playboy!” para, em seguida, votar naquele que a gente quer que ganhe. E pronto!
Mas esse negócio de “uma hora a mais, uma hora a menos” trouxe tantas coisas à minha cabeça!... Afinal, o que você faria em uma hora (ou se só lhe restasse uma hora)?
Em uma hora é possível tomar café, almoçar ou jantar; é possível morrer de rir ou de chorar; é possível ser uma boa companhia!
Uma hora é o tempo suficiente para um abrigo; pra conversar com o pai, a mãe, o irmão; é o tempo suficiente para um amigo!
Uma hora é o tempo preciso pra sonhar; pra rir ou andar à toa; apreciar a natureza numa boa; pra ter mais alegria!
Uma hora é suficiente pra crescer; pra conhecer e ter a certeza de que aquela pessoa é o amor da sua vida!
Uma hora é um tempo do dia, que pode fazer-se poesia pra dizer mil vezes “te amo, querida”!
Uma hora é o tempo do acaso; é suficiente pra ter 04 orgasmos! – Ah! Meus 18 anos! –, coisas bem mais úteis do que acreditar que apenas uma hora faria o ACRE sair do atraso! RS!
Em uma hora é possível nascer; é possível crescer; é possível viver; é possível morrer... Uma hora é a vida!
Tudo isso, sim, são coisas realmente importantes e que talvez possam ser cruciais para o ano que se inicia.
E para aqueles que acreditam mesmo que o mundo vai acabar em 2012, de acordo com o Calendário Maia, e não vão se mexer para fazer nada, vai aí um pouco de informação... talvez possa ajudar:

“O calendário de conta longa é apenas um entre os vários que os mais usavam. Assim como os nossos meses, anos e séculos, ele se estrutura em unidades de tempo cada vez maiores. Cada 20 dias formam um “mês”, ou uinal. Cada 18 uinals, um tun, ou “ano”, cada 20 tuns faziam um katun, e assim sucessivamente. Enquanto o nosso sistema de contagem de séculos não leva a um fim, o calendário de conta longa maia dura cerca de 5.200 anos e se encerra na data 13.0.0.0.0., que para muitos estudiosos (não há um consenso a respeito) corresponde ao nosso 21/12/2012. Isso não significa que eles esperassem pelo fim do mundo naquele dia. “Os povos ameríndios não tinham uma concepção linear de tempo que permitisse pensar num fim absoluto”, diz Eduardo Natalino dos Santos, professor de História da América Pré-hispânica da USP. Ele diz que há textos míticos mais que falam em idades anteriores ao aparecimento da humanidade atual, e afirmam que a era atual duraria 5.200 anos. “Mas em nenhum lugar se dia que o ciclo que estamos vivendo seria o último.” A maioria dos estudiosos acredita que, após chegar à data final, o calendário se reiniciaria. Assim como, para nós, o 31 de dezembro é sucedido pelo 1 de janeiro, para eles o dia 22/12/2012 corresponderia ao 0.0.0.0.1.”[1]
Mas para os que ainda não se convenceram, a Nestlé pode dar um alento! RS!

E é por isso que eu digo: Não sigo o Calendário Maia nem a Geografia do PT e eu gosto mesmo é de PENSAR e de NESCAU!

PS: Atenção, Nestlé! Eu vou cobrar merchandising, e o preço vai ser por uma hora RS!


Wallace Rocha



[1] Nogueira, Pablo. Revista Galileu, Ed. 206 – Set de 2008. Ed. Globo.





Um comentário:

Glauco Capper disse...

Mt Massa Dr. wallace!!!